Duca Leindecker é compositor, instrumentista, cantor e escritor brasileiro. Iniciou a carreira artística aos 13 anos, tocando na noite de Porto Alegre/RS.

Aos 15, foi eleito pela crítica especializada como melhor guitarrista do RS, o que aconteceu por mais três temporadas consecutivas.

Aos 18, gravou seu primeiro disco solo e, logo depois, formou a banda Cidadão Quem (www.cidadaoquem.com.br), ao lado de seu irmão Luciano e do baterista Cau Hafner.

No início dos anos 90, foi convidado pelo próprio Bob Dylan para, ao lado de Frank Solari, abrir seus shows na tour brasileira.

Com a Cidadão Quem, gravou sete CDs e um DVD, e fez mais de mil apresentações pelo Brasil, incluindo o Rock in Rio 3.

Na literatura, seu primeiro livro “A Casa da Esquina” tornou-se um best seller, com mais de 12 edições lançadas.

Formou o duo Pouca Vogal (www.poucavogal.com.br) com Humberto Gessinger (Engenheiros do Hawaii), que lançou CD e DVD e fez mais de 200 apresentações pelo Brasil.

Ganhou 04 Prêmios Açorianos de Música e já integrou o corpo de jurados do Açorianos de Literatura. Sua incursão na literatura ainda inclui “A Favor do Vento”, que está em fase de adaptação para o cinema, e o mais recente “O Menino que Pintava Sonhos”, segundo título de sua autoria a ser adotado como leitura obrigatória para o exame de seleção da Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha (NH).

Suas músicas têm sido regravadas por artistas como Tiago Iorc, Maria Gadu, Chimarruts, entre outros. Seu currículo como músico ainda inclui trilha sonora para três longa metragens. É ganhador dos prêmios “Histórias Curtas”, da RBS TV, e do Curumin de Cinema de Arrail da Ajuda (BA) por suas trilhas e desenhos de som.

Duca Leindecker atualmente está na tour de seu mais recente trabalho solo, “Plano Aberto”, gravado ao vivo e lançado em DVD e CD.