Duca Leindecker lança o video clipe do single "Mais uma pra Garantir" com a fotografia de Caio Girardi e a participação da galera.

Veja AQUI o novo vídeo clipe.

 

 

 

 

Hoje estou disponibilizando uma nova música. Tive a ideia de compor esse som baseando-me em duas coisas que têm me chamado a atenção: o avanço tecnológico que possibilitou que todas as pessoas do mundo carreguem uma câmera 24h por dia e a necessidade intrínseca ao ser humano de fugir da impermanência. Somos ávidos por congelar o tempo, guardar algo que nos foge sempre. Eu, particularmente, adoro fotografia e não poderia deixar de prestar essa homenagem a todos os fotógrafos de plantão.

Quem curtir o som e quiser participar do videoclipe é só mandar fotos comigo para o minhaselfiecomduca@gmail.com.

Escutem AQUI e não esqueçam de mandar mais uma pra garantir, também disponivel no Itunes e em todas as plataformas digitais.

Foto: Caio Girardi

 

 

 

 

A menos de um mês de um capítulo histórico em Porto Alegre, o show de David Gilmour em Porto Alegre ganhou mais uma atração.

O talentoso Duca Leindecker foi o escolhido para abrir o show do ícone britânico do rock dia 16 de dezembro na Arena do Grêmio. A ideia da apresentação será trabalhar o conceito do recém-lançado Plano Aberto, registro ao vivo de Duca que contempla as mais diferentes fases de sua carreira.

David Gilmour desembarca pela primeira vez em Porto Alegre para apresentar a turnê baseada no álbum Rattle that Lock, quarto em sua discografia solo.

Claro que o repertório do show reserva vários clássicos do Pink Floyd, como Wish You Were Here, Money, Us and Them, Shine on You Crazy Diamond, Time e Confortably Numb. Há alguns setores com ingressos esgotados!

Fonte: Codevilla - Cultura Pop

 

 

 

 

Na terça-feira, 20 de outubro, Duca Leindecker lançou o DVD Plano Aberto, em show no Teatro do Bourbon Country. Ao lado dos músicos Claudio Mattos, na bateria e Maurício Chaise, no baixo, Duca apresentou os maiores sucessos da sua carreira com a Cidadão Quem e Pouca Vogal, além de novas canções, em um set list de 20 músicas. Com plateia lotada, o show teve duração de 80 minutos.

Clique AQUI e veja a galeria de fotos.

Crédito Fotos: Jota

 

 

 

 

Na quinta-feira, dia 24, Duca Leindecker visitou Novo Hamburgo, para fazer o lançamento do DVD Plano Aberto, no Teatro da Feevale.

Clique AQUI e veja a galeria de fotos.

Crédito Fotos: Jota

 

 

 

 

Duca Leindecker, Luis Kiari e Quinteto Violado têm shows agendados em João Pessoa.

A Colônia Produções confirmou três shows que deverão movimentar, e bastante, a Usina Cultural Energisa, em João Pessoa, nos meses de outubro e novembro.

O gaúcho Duca Leindecker, conhecido do público local pela parceria com Humberto Gessinger no projeto Pouca Vogal, volta a João Pessoa para lançar Plano Aberto, título do DVD que coroa sua carreira solo. O show está marcado para o dia 16 de outubro na Sala Vladimir Carvalho da Usina Cultural.

Radicado no Rio, o paraibano Luís Kiari também volta para casa para lançar seu disco de estreia, Três, no dia 22 de outubro, uma quinta-feira, também na sala Vladimir Carvalho.

Depois de uma breve passagem por Recife na sexta (23), ele volta para cantar na cidade que nasceu, Campina Grande, onde encontra os fãs no palco do Teatro Severino Cabral, no sábado (24).

Um dos destaques da programação do Festival de Inverno de Campina deste ano, o Quinteto Violado volta à Paraíba em novembro, desta vez para duas datas na sala Vladimir Carvalho: 5 e 6 de novembro.

O grupo pernambucano apresenta o tributo a Dominguinhos que vem rodando o Brasil e, em João Pessoa, terão no palco uma participação especial: Cezzinha, fiel discípulo do mestre de Garanhuns.

Os horários das apresentações e o valor dos ingressos ainda não foram divulgados.

Fonte: Vida & Arte - Jornal da Paraíba

 

 

 

 

Na última terça-feira, 15, o músico Duca Leindecker divulgou mais uma faixa do seu novo álbum, Plano Aberto, na internet. A canção escolhida é "Certeiro", carro-chefe que abre o show, gravado em novembro do ano passado, em Porto Alegre/RS.

Porém, essa não foi a única oportunidade que os fãs do gaúcho tiveram para bisbilhotar o mais recente álbum de Duca Leindecker. Em julho, Leindecker, em parceria com Estação Filmes, já divulgara algumas faixas no Youtube: "Vício", "Girassóis" e "Brutalidade e sol".

Mas se os fãs quiserem conferir na íntegra como ficou esse baita registro musical, basta acessar o site da loja oficial do cantor, a Stereophonica, e garantir o seu "Plano Aberto" ao vivo e a cores, que por sinal, registra em um show épico as fases do Duca na banda Cidadão Quem; no Pouca Vogal; e agora na sua fase atual com carreira solo.

E, é claro que o Duca já está na estrada com a turnê, então para os fãs ficaram por dentro das datas e novidades, acessem: http://www.ducaleindecker.com.br/

Fonte: Site Rock 80 Brasil

 

 

 

 

“Plano Aberto” revela vertente multi-instrumentista do artista gaúcho.

O músico gaúcho Duca Leindecker volta a tocar em Porto Alegre no dia 20 de outubro, quando apresenta seu novo DVD ao público da Capital. O show da turnê de “Plano Aberto” ocorre às 21h, no Teatro do Bourbon Country (Tulio de Rose, 80), e os ingressos já estão sendo vendidos, com valores que variam entre R$ 30 e R$ 130 (inteira).

Depois do sucesso à frente da Cidadão Quem, da parceria com Humberto Gessinger no duo Pouca Vogal e de um disco solo, “Voz, violão e batucada”, Duca revela novamente toda a sua vertente multi-instrumentista. No DVD, gravado em novembro de 2014 na Associação Leopoldina Juvenil, ele toca guitarra, baixo, piano, violão e instrumentos de percussão.

Agora, para a tour de “Plano Aberto”, Duca viaja pelo país acompanhado dos músicos Claudio Mattos e Maurício Chaise, mostrando o resultado do mais recente trabalho. O repertório mistura as novas canções e os maiores sucessos de seus projetos anteriores, como “Música Inédita” e “Vício”, da Cidadão Quem, e “Breve”, do Pouca Vogal.

Fonte: Correio do Povo

 

 

 

 

Após Caxias do Sul e Belo Horizonte, será a vez de Porto Alegre receber o novo show do DVD Plano Aberto, de Duca Leindecker - gravado na capital gaúcha nos dias 11 e 12 de novembro do ano passado. A apresentação será em 20 de outubro, no Teatro do Bourbon Country.

Ao lado de Claudio Mattos (bateria) e Maurício Chaise (baixo), o cantor, compositor e guitarrista mostra ao vivo canções do trabalho Voz, Violão e Batucada, além de revisitar sucessos da banda Cidadão Quem e do Pouca Vogal - duo que formou com Humberto Gessinger.

O show terá abertura do grupo Lowly Hounds, formado por dois brintânicos e dois brasileiros. Leindecker acaba de virar pai novamente: no último dia 28, nasceu a Laura, filha do músico com a deputada estadual Manuela D'Ávila.

Os ingressos já estão à venda pelo site www.ingressorapido.com.br

Fonte: Roger Lerina, Contracapa ZH

 

 

 

 

Na quinta-feira, dia 06, Duca Leindecker e sua equipe aterrisaram em Belo Horizonte, para fazer o lançamento do DVD Plano Aberto, no Teatro Bradesco.

Clique AQUI e veja a galeria de fotos.

Crédito Fotos: Jocelito Camargo

 

 

 

 

Na última sexta-feira, dia 31, o vocalista do Cidadão Quem, Duca Leindecker, fez o lançamento do DVD Plano Aberto em Caxias do Sul, no Teatro da UCS. Com plateia lotada, O show é um conjunto de todos os trabalhos do cantor e compositor, adaptados com novas melodias. Ao lado de Claudio Mattos, na bateria, e Maurício Chaise, no baixo, Duca cantou sucessos da Cidadão Quem, do Pouca Vogal e do disco solo Voz, Violão & Batucada.

Clique AQUI e veja a galeria de fotos.

Crédito Fotos: Jota

 

 

 

 

Duca Leindecker lança amanhã em Caxias o DVD ‘Plano Aberto’, repleto de hits

Quem acha que já viu – e ouviu – Duca Leindecker fazer um pouco de tudo no palco, ainda pode conseguir se surpreender com ele no show de lançamento do primeiro DVD solo da carreira, Plano Aberto, amanhã, às 21h, no UCS Teatro. Ele canta. Batuca. Toca piano, baixo, guitarra. E apresenta canções queridinhas do público, só que com novas melodias. Vício, por exemplo, ganhou uma versão tocada no piano. Em Brutalidade e sol, ele ‘martela’ o violão e Girassóis revela novos acordes, mais pesados, de guitarra tocada pelo próprio. A versatilidade multi-instrumentista de Duca, que alterna os lados pop, poeta e percussionista, é um dos trunfos do trabalho. – O show é uma junção de tudo o que fiz até aqui (Cidadão Quem, Pouca Vogal e Voz, Violão e Batucada).

O primeiro show do DVD vai ser em Caxias, tenho uma relação forte com a cidade, foi aí que gravei meu primeiro disco solo em 1988 – conta ele, que se apresentou em Caxias pela última vez em abril do ano passado, no show comemorativo aos 20 anos da banda. Essa preferência faz sentido: entre as três músicas mais escutadas em Caxias no serviço de streaming Spotify, uma delas é Pinhal. A canção só entrou no terceiro disco da Cidadão, em 1998, mas desde lá não saiu dos ouvidos dos gaúchos e, especialmente, dos caxienses. O show, claro, tem um quê saudosista, com canções que os fãs escutam há cerca de 20 anos, como Vício, Dia Especial e Bossa, mas mescla um repertório mais atual, dos trabalhos mais recentes, como Iceberg e Nós. No disco, a parceria com Humberto Gessinger volta em Missão. Entre as novidades aparece Até Aqui, gravada no DVD com a participação de Tiago Iorc, que também canta com ele Música Inédita. – Essas músicas logo deixam de ser inéditas. Acabei de fazer, mas as pessoas já conhecem, têm acesso rápido a elas – avalia Duca, que tem usado a página no Facebook para lançar singles do novo trabalho e está disponibilizando o disco no SuperPlayer.

Há pelo menos uma dezena das canções confirmadas que ficaram de fora desse show, mas é pouco provável que os fãs reclamem dessa celebração à música, pensada e executada de forma diferente.

Fonte: Tríssia Sartori , O Pioneiro

 

 

 

 

Na quarta-feira, 29 de Julho, Duca Leindecker lançou o DVD Plano Aberto, gravado na Capital em novembro de 2014. Na ocasião, ele apresentou o resultado para fãs e convidados na tela do cinema do GNC, no Moinhos Shopping em Porto Alegre. Com direção de Rene Goya, a montagem tem duração de 80 minutos e contou com as participações especiais de Humberto Gessinger na música “Missão” e Tiago Iorc em “Até Aqui” e “Música Inédita”. O DVD reúne em 20 músicas todas as fases da carreira de Duca. A produção também conta com uma homenagem a Luciano Leindecker, na música “Ronco do Vulcão”, em montagem in memorian.

Clique AQUI e veja a galeria de fotos.

Crédito Fotos: Edu Defferrari

 

 

 

 

Duca Leindecker apresenta hoje ao público porto-alegrense seu dvd Plano Aberto. Síntese de mais de 20 anos de carreira, o registro cobre diferentes fases da carreira do músico que já liderou a Cidadão Quem e formou, em parceria com Humberto Gessinger, o Pouca Vogal. Nas palavras de Duca, "o dvd é um reencontro de tudo. Do meu lado mais instrumentista com o lado das canções e das poesias".

O começo da carreira de Leindecker ocorreu em parceria com seu irmão, Luciano, e com o baterista Cau Hafner. O trio deu origem à Cidadão Quem. Relembrando sua trajetória, o artista conta que começou a se envolver com a música aos 13 anos de idade - "desde lá nunca passei nenhuma necessidade e as coisas aconteceram naturalmente".

No entanto, se de 1993 a 2007 a Cidadão lançou sete discos e teve considerável sucesso, sua história também foi marcada por infortúnios. Em 1999, o baterista Cau Hafner morreu em um acidente de paraquedas. Em 2008, Luciano foi diagnosticado com câncer, forçando a banda a interromper suas atividades. O músico morreu no ano passado.

Da Cidadão Quem, a história de Duca segue com o Pouca Vogal, projeto com Humberto Gessinger, do Engenheiros do Hawaii, e com o Voz, Violão e Batucada, trabalho solo lançado em 2013. Elementos de cada uma dessas etapas aparecem em Plano Aberto. Para explicar sua relação com a música, Leindecker recorre a uma metáfora: "Eu me vejo num grande parque de diversões que é a arte. Quero andar em todos os brinquedos".

Ao mesmo tempo que usa essa ideia para ressaltar que não planeja sua carreira de modo estratégico, ele também evidencia seu amor pela música e o prazer que tem ao trabalhar com isso. Reverencialmente, completa "a música fascina. A música tem um poder incrível, ela entra dentro das pessoas e ela transforma mesmo".

Esse dinamismo de criança em parque de diversões parece ser uma das grandes forças por trás de Plano Aberto. No show, Leindecker deixa bem a vista sua faceta multi-instrumentista: toca guitarra, baixo, piano, violão e percussão. "Eu estou num momento que eu posso dizer que tem uma certa maturidade em tudo que eu experimentei, e agora estou colocando em prática o que tenho de melhor".

Outra visão de Leindecker que ajuda a entender sua trajetória e o novo trabalho que entrega nesta quarta-feira tem a ver com o conteúdo e a forma musical. "De canto gregoriano a Justin Bieber, as músicas tratam de relacionamento, injustiça social e religião, basicamente. As coisas não mudam muito, a não ser na forma", opina. É essa busca pelo novo, justamente, que o levou ao formato voz, violão e batucada; uma das performances mais inusitadas de Leindecker.

Para a gravação do dvd, teve como banda de apoio Claudio Mattos na bateria e Maurício Chaise no baixo, além dos convidados especiais Humberto Gessinger, Tiago Iorc e Luciano Leindecker. Aliás, a colaboração de Luciano deve ser um dos momentos mais emotivos do trabalho, já que o músico faleceu alguns depois de ter gravado sua participação no espetáculo. Plano Aberto é o primeiro registro solo de Leindecker, que já lançou dvds pela Cidadão Quem e pela Pouca Vogal. As gravações ocorreram em duas sessões lotadas na Associação Leopoldina Juvenil, em novembro do ano passado. Com 98% dos ingressos vendidos pela internet, Duca destaca a sintonia com o público, que veio de outros estados inclusive. "Aquela coisa de estar em casa mesmo". Mas não foi só o público que agradou: "foi um golaço escolher o Leopoldina".

Apesar de não receber muitos eventos desse tipo, o visual clássico do salão agradou ao músico, que também participou da pós-produção do filme, ao lado do diretor Rene Goya. O registro inclui 20 canções, somando 80 minutos, e estará à venda por R$ 35,00. Dia 31 acontece o primeiro espetáculo da turnê, em Caxias do Sul. Nos próximos meses, Leindecker deve levar o show para outros estados, com paradas por Rio de Janeiro, Belo Horizonte, João Pessoa e Curitiba. A apresentação hoje é para convidados no GNC Moinhos.

Se em 1992 um jovem Duca impressionou Bob Dylan a ponto de ser convidado para abrir seus shows no Brasil, em Plano Aberto o músico se pretende definitivo. "O dvd mostra o melhor que eu tenho para dar. Eu não consigo ser muito melhor que isso".

Fonte: Rodrigo Ferreira, Panorama

 

 

 

 

 

 

 

Galera, como hoje é Dia do Amigo criei uma forma de convidá-los para curtir o lançamento do DVD no cinema. Será no GNC Moinhos, no dia 29/07, às 21h, em Porto Alegre.

Para participar, responda a frase no post da minha página no Facebook e marque o seu amigo:

Por que quero levar meu melhor amigo no cinema pra assistir o lançamento do DVD #planoaberto?

1) serão escolhidas dez frases. Cada um dos escolhidos terá direito a um amigo como acompanhante;
2) o prazo para a postagem se encerra às 23h de quarta-feira, dia 22/07;
3) vou divulgar os dez escolhidos e seus acompanhantes sexta à noite.

 

 

 

 

Em mais uma ação da Marra Produções e Eventos, um grande show está previsto para acontecer em Divinópolis no mês de agosto. A noite que contará com o guitarrista e multinstrumentista Duca Leindecker também terá shows de Pó de Giz e Dj Tidus Kirschner e será no dia 07 de agosto na boate Lux Lounge.

O primeiro lote de ingressos já está sendo vendido com os preços de pista R$30, Camartoe R$50 e Sala Vip R$120. Os convites podem ser adquiridos nas loja colcci e sorverteria Ygloo. Os camarotes estão sendo vendidos na Trial Stree Wear e a sala Vip com Tati Ubagai no telefone (37) 91996630.

Duca Leindecker toca vários instrumentos, tendo sido distinguido pela crítica especializada como o melhor guitarrista do ano por três temporadas consecutivas.

Aos dezessete anos gravou um disco solo e, no início dos anos 90, foi convidado por Bob Dylan para fazer a abertura dos seus shows no Brasil . Com a banda Cidadão Quem, lançou sete CDs e participou no Rock in Rio III.

É autor de trilhas para telenovelas. Em 1999 publicou seu primeiro livro, A casa da esquina, e que foi um dos livros mais vendidos na 45ª Feira do Livro de Porto Alegre . Em 2002 lançou o segundo, A Favor do Vento.

Além das bem sucedidas carreiras solo e com a Cidadão Quem, Duca Leindecker foi integrante da Bandaliera, banda de Rock do sul do Brasil. No ano de 2007 compôs em parceria com o baixista e vocalista do Engenheiros do Hawaii, Humberto Gessinger, a canção Força do Silêncio, que rendeu à dupla a conquista do Prêmio Açorianos.

De 2008 a 2012, Duca se dedicou ao Pouca Vogal, um duo formado em parceria com Humberto Gessinger que rendeu o lançamento de dois álbuns. O dueto compôs novas músicas, mas sem deixar de tocar nos shows os grandes sucessos da Cidadão Quem e do Engenheiros do Hawaii. Lançou em 2013, seu último álbum solo até então, intitulado de Voz, Violão e Batucada.

Fonte: Site Sistema MPA

 

 

 

 

Duca Leindecker busca se redescobrir musicalmente em novo DVD.

"Plano Aberto" contém homenagem ao irmão Luciano, parceiro de Cidadão Quem, morto em 2014.

Duca Leindecker vive uma fase de reinvenção. Quer testar novas melodias, investir em outros instrumentos, pensar em formas diferentes de fazer música. E é com o DVD Plano Aberto, que tem lançamento previsto para 29 de julho, que o músico quer apresentar essa redescoberta musical aos fãs.

– A questão maior é captar a vibe atual, uma coisa um pouco renascentista de se descobrir, buscar coisas novas Por isso, o nome do DVD é Plano Aberto – diz o músico, eufórico, por telefone, interrompendo o papo de tempos em tempos, já que assistia ao DVD pronto pela primeira vez durante a entrevista.

Gravadas em novembro, em duas sessões lotadas na Associação Leopoldina Juvenil, as 20 faixas do show mostram Duca passeando pelas diversas fases de sua carreira: o pop da Cidadão Quem, a poesia do Pouca Vogal e a percussão do projeto Voz, Violão e Batucada estão presentes. Não é à toa que, nos 80 minutos de gravação, o músico toca guitarra, baixo, piano e percussão. Com direção de Rene Goya, o registro tem, segundo Duca, um só foco: a música.

A empolgação é também uma forma de superação. Nove dias após gravar o DVD, Duca perdeu o irmão e companheiro de Cidadão Quem, Luciano Leindecker, que tinha 42 anos e morreu vítima de um câncer na medula óssea. O episódio o fez deparar com uma encruzilhada: ou buscava nisso energia para seguir cantando ou “se atirava da janela”.

– Perdi minha banda inteira. O Cau (Hafner, primeiro baterista da Cidadão Quem) morreu, depois o Luciano. É uma coisa muito louca, mas tudo isso se transforma em energia, e quem decide como usar é tu: vou me afundar, ir para casa, me deprimir, me jogar da janela? Essa energia não fica parada, tem que ser direcionada. Eu direcionei para fazer música.

Luciano recebe uma homenagem em Plano Aberto: em Ronco do Vulcão, Duca faz um dueto com o irmão. Os dois cantam juntos – ele no palco e Luciano em um vídeo gravado na sala da casa. Além dele, participam do DVD Humberto Gessinger, parceiro de Pouca Vogal, e Tiago Iorc. No mesmo dia do lançamento, serão anunciadas as datas da turnê, que começa em 31 de julho, em Caxias do Sul.

Fonte: Site Zero Hora

 

 

 

Duca Leindecker nasceu em Porto Alegre, em 1970, e iniciou sua carreira na música aos 13 anos.

De lá para cá, ele construiu uma trajetória atuando como instrumentista, compositor, produtor artístico e escritor. Além de já ter feito parte de bandas como Cidadão Quem, Pouca Vogal e, agora, ele trabalha em seu segundo projeto solo, o DVD “Plano Aberto”. O trabalho faz uma releitura de músicas de toda sua carreira, passando por diversas vertentes.

Eu conversei com o Duca para saber um pouco mais sobre o lançamento do seu novo álbum, que acontece no dia 6 de agosto, no Teatro Bradesco. “Estive aí outras vezes e estou louco para voltar”, garante.

Quanto tempo de estrada e trabalhos até aqui?

Mais ou menos 30 anos de estrada. Eu comecei aos 13 tocando profissionalmente nos bares de Porto Alegre e era um momento em que acontecia um boom no movimento do rock gaúcho. Depois fiz parte da banda Cidadão Quem, com a qual eu gravei 7 discos e um DVD. Tivemos uma carreira bem bacana, fizemos muitos shows, inclusive no Rock in Rio. Depois veio o Pouca Vogal, que é um projeto ao lado do Humberto Gessinger, que é um cara que eu já conhecia desde o início da minha carreira. Logo após, eu parti para um projeto solo que é o Voz, Violão e Batucada. E, por fim, agora estou com o Plano Aberto.

Como surgiu a ideia do Pouca Vogal ao lado do Humberto Gessinger?

Já nos conhecíamos quando minha banda estava começando e ele fazia sucesso com o Engenheiros do Hawaii. Naquela época, surgiu a ideia de fazermos alguma coisa, mas não rolou. Nos reencontramos novamente, em Los Angeles, quando eu estava mixando o segundo disco do Cidadão e ele o do Engenheiros. No álbum Sete, que foi o último, já tinha uma música nossa, mas a banda acabou devido a morte de dois integrantes. Depois disso, resolvemos nos reunir e começamos a compor músicas e usar o nosso repertório para o Pouca Vogal.

Você têm trabalhos nas vertentes do rock, projetos acústicos e intimistas. Qual deles está no Plano Aberto?

Todos (risos). Exatamente por isso o nome é Plano Aberto, esse é o conceito. Não só em relação a minha carreira, mas, também para o futuro. Muitas coisas aconteceram, tanto na minha vida pessoal quanto profissional, e eu trouxe essa bagagem para a minha experiência musical. É um show muito rico e dinâmico, com a participação do Claudio Mattos na bateria e Maurício Chaise no baixo.

Músico, instrumentista e escritor. Você tinha isso como objetivo?

Tenho 3 livros. Gosto de escrever e há pouco tempo lancei “O menino que pintava sonhos”. Vou muito à escolas e feiras falar sobre esse trabalho. Minha vida é um privilégio! Vivo exclusivamente de arte e isso é muito bom, me divirto muito nesse parque de diversões que é a vida de um artista.

Os fãs podem esperar novas parcerias?

É uma coisa que acontece naturalmente, o bacana é estar aberto para oportunidades. Eu gosto de fazer música, tocar e me dedicar 100% ao que eu gosto. Eu fiz um projeto com o Flávio Venturini e sou fã do trabalho dele. Quem sabe possa sair alguma coisa nesse sentido!?

Fonte: Jornal Edição do Brasil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Superplayer, serviço de recomendação musical online, apresenta com exclusividade o lançamento do DVD Plano Aberto, de Duca Leindecker. O trabalho inédito contempla dois shows realizados em novembro de 2014, em Porto Alegre, e conta com a presença de Claudio Mattos, na bateria, e Maurício Chaise, no baixo. A apresentação reúne canções de todas as fases da carreira do músico.

O lançamento oficial do DVD será no dia 29 de julho e contará com uma sessão especial no GNC Cinemas, no Moinhos Shopping. No entanto, os ouvintes do Superplayer poderão conferir com exclusividade o trabalho a partir desta terça-feira, 14, no site (www.superplayer.fm) e nos aplicativos para Android, iPhone e Windows Phone.

O player e o músico ainda promovem um pocket show exclusivo para convidados no dia 14, em Porto Alegre, na MaltStore Padre Chagas. Quem estiver presente, poderá ouvir o trabalho do artista em primeira mão.

Fonte: Site Palpitadas

 

 

 

 

O Superplayer, serviço de recomendação musical online, apresenta com exclusividade o lançamento do DVD Plano Aberto, de Duca Leindecker. O trabalho inédito contempla dois shows realizados em novembro de 2014, em Porto Alegre, e conta com a presença de Claudio Mattos, na bateria, e Maurício Chaise, no baixo. A apresentação reúne canções de todas as fases da carreira do músico.

O lançamento oficial do DVD será no dia 29 de julho e contará com uma sessão especial no GNC Cinemas, no Moinhos Shopping. No entanto, os ouvintes do Superplayer poderão conferir com exclusividade o trabalho desde o dia 14 de julho no site (www.superplayer.fm) e nos aplicativos para Android, iPhone e Windows Phone.

O player e o músico ainda promovem um pocket show exclusivo para convidados no dia 14 de julho, em Porto Alegre, na MaltStore Padre Chagas. Quem estiver presente, poderá ouvir o trabalho do artista em primeira mão.

Fonte: Jornal Opa

 

 

 

 

Para aproveitar o lançamento, batemos um papo com Duca em uma breve entrevista sobre processo criativo, gosto musical e inspiração. Confere aí como foi essa conversa:

1. Você é um compositor multi-instrumentista, além de cantor e começou a se envolver bem novo com música. Qual foi a sua grande motivação quando criança para decidir tão cedo que era isso que você queria fazer?

Perdi o meu pai com 8 anos de idade. Sou filho de professora e éramos 3 irmãos. A água bateu na bunda bem cedo e descobri que precisava nadar. Me apaixonei pela música e me joguei de cabeça. Cheguei a estudar 14 horas por dia. Não vi o tempo passar e quando percebi estava lá com duas noites lotadas no Juvenil gravando meu décimo trabalho.

2. Além de todos os projetos musicais, você já publicou 3 livros também. Onde você busca inspiração para escrever essas histórias que viram letras de música e livros?

A vida é muito rica pra quem enxerga a sua beleza. Dá pra gente achar o que quiser e é sobre isso o argumento do meu livro mais recente, “O Menino que Pintava Sonhos”. Sobre a subjetividade da arte. Sobre o quanto pode ser sublime e medíocre uma determinada obra de arte dependendo do observador. Pra mim, uma rua pode ser mais do que suficiente para escrever uma letra. Depende muito o que essa rua me diz. Quem passa nela, quem já passou, quem vai passar…

3. O que vem primeiro no seu processo criativo: a letra ou a melodia?

Sempre a melodia. Sou músico acima de tudo. Os caminhos da melodia são mais familiares do que os das palavras pra mim. As palavras vem pra confirmar o que a música já está dizendo.

4. Qual sua maior referência musical? Existe algum músico ou banda que são indispensáveis para a sua vida?

Muitos. Somos o que aprendemos baseado no comportamento dos outros. Dos que nos cativaram e dos que nos repeliram. Cresci ouvindo MPB e MPG e depois veio o Rock. Jimi Hendrix, Eric Clapton, Jeff Beck, Tom Jobim, Nelson Coelho de Castro.

5. Agora falando um pouco mais do cenário da música no mundo. A internet democratizou a forma de se distribuir música de várias formas, e nem todas as gravadoras viram isso com bons olhos. Isso até irritou alguns artistas, como o Metallica. Como você vê essa relação de música e internet?

Acho que o artista não tem nada a ver com isso. Não escrevo música nem livro pra que seja colocado ali ou aqui. A arte não pode se preocupar com isso. Acho fantástica a possibilidade da internet e aos poucos tudo vai se ajeitar. Os advogados, empresários, etc… vão dar um jeito. Nós músicos temos que nos preocupar com o acorde certo, “a palavra mais forte”.

6. Nos últimos anos, o streaming de música vem se tornando cada vez mais popular e se consolidou como uma forma de combater a pirataria. De que modo isso afeta o seu trabalho? E o que você espera para o futuro nessa área?

Acho que o streaming deixa mais fácil o acesso ao meu trabalho. Em 2007 colocamos todas as músicas da discografia da Cidadão Quem em streaming pra quem quisesse conhecer. Está lá no site oficial da banda.

7. Quais artistas não poderiam deixar de figurar em uma playlist feita por você?

Pedro Aznar, Pat Metheny, Beatles, Baden Powell, Van Halen, Phoenix.

8. Ok, é hora da polêmica. Qual seu Beatle favorito?

George.

9. Vamos para a última pergunta – e essa mata a gente de curiosidade: qual playlist do Superplayer que você mais gosta e escuta?

Acho esse lance do Superplayer incrível. Acho mesmo que a arte é isso. Os artistas se acham muito importantes mas a arte está acima de tudo. A quinta de Beethoven é muito mais importante que ele. As pessoas passam e as músicas, a arte, fica. Eu não estarei mais aqui em breve mas talvez, em algum lugar, alguém vai estar num veículo, talvez movido a hidrogênio, indo pra Pinhal e escutando Pinhal. Porque aquilo diz alguma coisa. Não tenho playlist preferida no Superplayer. Depende do estado de espírito. O importante é que os playlists são muito fiéis ao que se propõe e põem a música acima de tudo.

Duca Leindecker é cantor, guitarrista, compositor e escritor nascido em Porto Alegre. Nos anos 90, formou a Cidadão Quem e anos depois, em 2008, fundou a Pouca Vocal junto com Humberto Gessinger. Agora, Duca está lançando o CD e DVD Plano Aberto.

O projeto é o resultado de dois shows gravados em Porto Alegre, no ano de 2014, que reuniu músicas de todas as fases de Duca. Usuários do Superplayer já podem ouvir com exclusividade o lançamento aqui.

Fonte: Site Superplayer

 

 

 

 

O DVD Plano Aberto, de Duca Leindecker, gravado em Porto Alegre, em novembro do ano passado, já está disponível para pré-venda. Os fãs podem adquirir através do site www.stereophonica.com.br

O material traz 20 músicas das mais diferentes fases do artista, com algumas participações especiais como as de Humberto Gessinger (em Missão) e Tiago Iorc (em Até Aqui e Música Inédita). Em uma montagem in memorian, a canção Ronco do Vulcão homenageia Luciano Leindecker, irmão de Duca que faleceu no dia 21 de novembro, poucos dias após a captação dos shows.

No dia 15 de julho, o trabalho completo será lançado no Superplayer.fm, e dia 29 o músico faz um show para fãs, vips e imprensa no GNC Cinemas do Moinhos Shopping. Dois dias depois, inicia uma turnê promocional por Caxias do Sul no Teatro da UCS. O DVD chega às lojas após a estreia no cinema.

Fonte: Site Palpitadas

 

 

 

 

 

 

 

 

O DVD que o Duca Leindecker gravou aqui em Porto Alegre em novembro do ano passado já está com os preparativos para o lançamento a todo vapor. Humberto Gessinger (em Missão) e Tiago Iorc (em Até Aqui e Música Inédita) participam da gravação, que reúne 20 músicas de diversas fases do cantor. A canção Ronco do Vulcão homenageia Luciano Leindecker em uma montagem in memorian.

Nesta terça-feira (7/7), Duca solta no Facebook o primeiro single do DVD – nas semanas seguintes mais novidades devem aparecer por lá. No dia 15/7 o trabalho completo será lançado no Superplayer – e dia 29 o músico faz um show para fãs, vips e imprensa no GNC Cinemas do Moinhos Shopping. Caxias do Sul recebe a apresentação no dia 31/7, no Teatro da UCS.

Fonte: Blog do Roger Lerina

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu já tinha ouvido e gostado muito das suas músicas, e no dia 28 de junho, a convite da socialite Adriana Piazza, tive o prazer de assistir, no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis – SC, o pré-lançamento do DVD Plano Aberto, que reúne todas as fases de sua carreira.

Duca Leindecker, um cantor gaúcho, que iniciou cedo a sua carreira artística, aos treze anos e, aos dezessete já gravou um disco solo e, desde então, construiu uma bela trajetória como compositor, instrumentista, produtor artístico e escritor.

No início dos anos 90, foi convidado por nada menos que Bob Dylan para fazer a abertura dos seus shows viajando pelo Brasil juntamente com Frank Solari.

Como escritor, tem em seu primeiro livro, A casa da esquina, um best-seller, com mais de dez edições, depois lançou A favor do vento, que já tem roteiro adaptado para o cinema e o terceiro livro, O menino que pintava sonhos, foi um dos maiores sucessos na Feira do Livro de Porto Alegre em 2013.

O artista foi integrante da Bandaliera, tradicional banda do sul do Brasil e é líder da banda Cidadão Quem, com sete CDs e um DVD, e também marcou presença no Rock in Rio III.

Ao lado de Humberto Gessinger – Engenheiros do Hawaii – criou o Pouca Vogal, em que atravessaram o país no tour do CD e DVD gravado ao vivo em Porto Alegre. Em 2013, lançou o disco solo Voz, violão e batucada.

E nesse show de pré-lançamento do DVD Plano Aberto, o músico contagiou a todos no palco, envolvendo-os em suas belas canções. Foi uma noite maravilhosa! Recomendo ouvi-lo!!

Fonte: Blog Ego Notícias